Arquivo para dezembro \23\UTC 2009

Então é Natal…

Mês de dezembro é mesmo complicado, além da euforia das pessoas, da correria e do impulso consumista, há também muita nostalgia. É bom lembrar os tempos de crianças, a família toda reunida… Era tanta gente que a ceia era realizada no quintal da casa de meus avós. Havia uma mesa enorme de madeira (feita pelo meu avô, marceneiro) e uma grande árvore natural que os netos adoravam ajudar a enfeitar. Como eu era muito criança, tudo me parecia muito maior do que hoje é realmente…

Com essas lembranças todas, vários pensamentos freqüentemente passam pela minha mente. Os anos passam, a vida muda, erramos, aprendemos, crescemos, fazemos e desfazemos amizades, mas algum ponto da vida acaba voltando ao mesmo lugar. Talvez com outro contexto, com outras pessoas, mas a situação é a mesma, as dúvidas permanecem e os sentimentos também.

Sabe, estou cansada de tudo, cansada de reclamar, me magoar, chorar e pedir sempre a mesma coisa. Não ser ouvida, respeitada e nem um pouco compreendida. Abro mão de tudo, faço tudo para as coisas ficarem bem, mas quem faz isso por mim? Ultimamente ninguém…

Nesse Natal não queria roupas, perfumes ou jóias. (Lógico que se for de coração ficaria muito feliz, mas enfim… ) O que eu quero é mesmo respeito, cumplicidade, compartilhar dos mesmos sonhos. Quero um amor de verdade, sabe, que me deixe participar, que não tenha amigos secretos nem uma turma da qual eu não faça parte. Todos podemos, e devemos, ter privacidade, não nego isso a ninguém, mas acho que tenho o direito de participar efetivamente da vida de quem eu amo. Entender, conversar, gostar me relacionar com seus amigos como se fossem meus também e vice-versa. Negar isso é simplesmente negar e não assumir um compromisso, como se abrir esse espaço fosse um passo para algo maior.

O problema é que eu estou pronta pra esse algo maior, estou pronta pra compartilhar, dividir, crescer e construir junto. É pedir muito, depois de tanto tempo, que nossos sonhos se encontrem e nossas ações caminhem na mesma direção?

Não sei, eu estou disposta a aceitar, a fazer mais do que já faço e abrir mão de diversas coisas… só não vou abrir mão dos meus sonhos, dos meus planos. Esse ano que está por vir, com certeza farei de tudo para ir atrás deles, ou melhor, irei mesmo atrás deles. Quem quiser vir comigo, ótimo, mas se depois de tanto tempo ainda não estiver pronto, sinto muito, mas acho que não posso mais continuar algo que  não vai dar em nada, se não posso compartilhar os meus sonhos, talvez  eu não possa compartilhar mais nada mesmo. Isso é o que penso, mas não o que sinto. Esse é justamente o meu problema, deixar meu amor falar mais alto mesmo que passe por cima até do meu amor próprio…

Bom, queria aproveitar para desejar um FELIZ NATAL (afinal, já é amanhã) para todos os que visitam esse blog e principalmente para dois leitores fieis, amigos e poetas maravilhosos: Leandro e Danilo… Um beijo especial!

Más recordações

Coisas mal resolvidas por mais que se queira são difíceis de esquecer. Essa semana, sombras do passado insistiram em me rodear como fantasmas perambulando, não ao meu redor, mas dentro de mim.

Fazem anos que essas coisas ruins aconteceram, e ainda acontecem, eu tentei apagar e simplesmente esquecer, funcionou por um tempo, mas hoje essas lembranças voltaram a tomar conta de meus pensamentos. Medo, ciumes, mágoa e insegurança são os sentimentos presentes nessas más recordações.

Por que as pessoas são tão crueis?? Por que fazem questão de te lembrar que você não existe pra elas?? Por que declarações e ofensas entrelinhas?? Por que não apagar fotos,  e-mails, rasgar cartas??? Mas não, é preciso ferir mais do que já foi ferido. É preciso a todo instante lembrar que você não faz mais parte do que um dia foi tão bom… ou talvez nunca tenha feito mesmo…

Queria fugir disso tudo, costurar meu pensamento (assim como o galo de Bojunga) porque eu sei que eu sou a única resposável por ele. Eu deveria comandar minha mente, deixar ir embora tudo o que não me faz bem. Mas não é tão simples assim, nosso inconsciente tem vida própria e por mais que eu deseje o contrário, me diz que essas coisas precisam ser resolvidas.

O problema é que eu não estou pronta, não consigo entender, perdoar e aceitar até os meus próprios erros. Preciso de mais tempo para pôr as coisas no lugar, amadurecer minhas idéias e tirar a mágoa presente em meu coração, ou quem sabe “boicotar” minha mente e deixar escondido o que eu prefiro não me lembrar.

Eu só quero minha tranquilidade, pensar no meu futuro não mais no meu passado, não quero mais essas sombras, quero viver em paz ao lado do meu amor que nunca saiu de perto de mim, que mesmo distante esteve presente, que hoje é uma parte essencial de mim, que sem ele fica tudo tão vazio… não é paixão é amor. Amor sincero, puro, transparente e verdadeiro! Que eu sei que é demais pra mim, que um dia não fiz por merecer, mas vou fazer… aliás acho que já mereço…

Longe do meu lado (Legião Urbana)

Se a paixão fosse realmente um bálsamo
O mundo não pareceria tão equivocado
Te dou carinho, respeito e um afago
Mas entenda, eu não estou apaixonado
A paixão já passou em minha vida
Foi até bom mas ao final deu tudo errado
E agora carrego em mim
Uma dor triste, um coração cicatrizado
E olha que tentei o meu caminho
Mas tudo agora é coisa do passado
Quero respeito e sempre ter alguém
Que me entenda e sempre fique a meu lado
Mas não, não quero estar apaixonado

A paixão quer sangue e corações arruinados
E saudade é só mágoa por ter sido feito tanto estrago
E essa escravidão e essa dor não quero mais
Quando acreditei que tudo era um fato consumado
Veio a foice e jogou-te longe
Longe do meu lado

Não estou mais pronto para lágrimas
Podemos ficar juntos e vivermos o futuro, não o passado
Veja o nosso mundo
Eu também sei que dizem
Que não existe amor errado
Mas entenda, não quero estar apaixonado

Só coloquei a letras dessa música porque é bem esse o espiríto do post, mas a melodia é melancolica demais a ponto de alguém que estiver muito depressivo tentar suicidio… rsrs.. esse não é o caso!

Ps: A quem não entendeu sobre o galo de Bojunga: aconselho a leitura de A Bolsa Amarela, um livro de literatura infantil –  juvenil… simplesmente, pra mim, o melhor depois de O Pequeno Príncipe.