Arquivo para outubro \13\UTC 2009

Feriado: cerveja, amigos e cinema

Passei por uma longa semana de muito serviço por causa do dia das crianças: lembrancinhas, cartões, brincadeiras, teatro, brinquedos… acabaram comigo! Sexta-feira eu mais parecia um zumbi, a esposa do Dracula, ou algo parecido… e ainda tive que trabalhar no sábado (odeio reposição de aula, bendita gripe suína…).Mas depois da tempestade… um merecido fim de semana e um belo feriado!! Que na verdade não foi tão belo assim, as coisas nem sempre saem como o planejado, mas enfim…

Um descanso no sábado à noite; cerveja, amigos e namorado no domingo e um cineminha pra terminar a segunda. Eu mais que indico o filme ao qual assisti: Bastardos Inglórios. Pra quem gosta de Quentin Tarantino… violência gratuita, muito sangue e uma boa dose de risadas. Destaque para a atuação de Brad Pitt, que sem sombra de dúvida merece papéis cômicos como esse. Muito melhor ao papel  que concorreu ao Oscar em “O curioso caso de Benjamin Button”… filme chatinho esse, viu… lembrou-me Jack (não sei o que) só que ao contrário…

Bom, criticas de cinema à parte,  boa semana pra vcs e assistam vale à pena!

inglouriousbasterds3

Mais uma vez amor…

Relacionamento é mesmo complicado, por mais que duas pessoas se gostem sempre haverá problemas, intrigas, opiniões diferentes que certamente ocasionará em uma briga.  Todo e qualquer casal briga, se não algo também está fora do normal. As pessoas são diferentes e sempre será assim. Contudo, é possível amenizar a situação, abrir mão de alguma coisa nem que seja a própria razão. Eu não ligo de “engolir sapos”, já suportei várias coisas na tentativa de ficar tudo bem. Sei que não sou a única, que já fizeram e ainda fazem isso por mim.

Por amor a gente se anula, vivemos exclusivamente para quem amamos ao ponto de esquecemos quem somos; o que queremos; pra onde estamos indo… Mudamos a direção de tudo, dos pensamentos às ações.

E quando tudo acaba? Pra onde vamos? Eu não sei, porque ainda não acabou e não vai acabar, espero. Faço tudo outra vez se for preciso, a única coisa que espero é o mesmo pensamento…

Só uma coisa me magoa: perceber que não queremos as mesmas coisas, que não temos os mesmos sonhos. Talvez isso nos complete, talvez nos afaste, talvez não precise sonhar, mas só respeitar, não sei… Veremos…

 Você diz que não me conhece… Mas quem conhece alguém por inteiro? Nem eu mesma me conheço porque estou sempre mudando… E não deveria ser assim? Algo que não muda é meu amor; sempre o mesmo, às vezes mais, às vezes menos, mas sempre amor!

 Deixo aqui o poema mais conhecido, cantado, recitado de todos os tempos:

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luis de Camões

 

*Bom fim de semana (e feriado) para todos! Só pra mim que ainda não, eu trabalho amanhã (o que não faço por uma hora extra…)