Arquivo para junho \29\UTC 2009

Enfim férias…

gato

Voltando do serviço, cansada, deparo-me com um transito atípico para uma segunda-feira e me pego pensando, já tensa: ” Aff, já comecei bem a semana, vou chegar atrasada mais uma vez… Peraí, atrasada?? Pra quê?? Ah! to de férias, que bom!” E relaxei, me acomodei no banco, aumentei um pouco o volume do som e segui, tranquila.  Vim pra casa pensando em quanta coisa poderei fazer em minhas noites: assistir a um filme, visitar meus amigos, beber uma cerveja, sozinha mesmo (porque às vezes eu sou minha melhor companhia) ou com algumas pessoas agradáveis; e namorar um pouquinho que faz bem pra saúde.  Mas não hoje, hoje quero descansar… continuar o livro que estou lendo, ficar sem fazer nada, sozinha, com os pensamentos em mim mesma, no que eu quero, espero, desejo. Talvez não faça nada por isso, mas é sempre bom pensar!

Benditas férias. Um mês é ideal, porque mais do que isso já é exagero…

Alguém

Eu quero alguém que seja companheiro, amigo e amante. Alguém que tenha um bom senso de humor e que me faça rir até chorar, e não o contrário.  Alguém com quem eu possa contar nos dias frios, chuvosos, pra ficar agarradinho esquentando um corpo no outro. Quero alguém que não sinta ciúmes dos meus amigos e que seja simpático e amável a ponto de querer conquistar a amizade deles… e que nunca, nunca mesmo  me coloque contra a parede esperando uma escolha, pois ela NÃO será feita. Não quero alguém que faça tudo por mim, mas se fizer que seja de coração, com boa vontade e que não espere nada em troca, eu faço isso… Quero alguém com personalidade que não pense por mim, nem viva em minha função, o que mais eu prezo é individualidade e independência. Quero alguém que não se importe com minha cerveja, nem reclame do meu hálito, mas divida uma comigo. (Muitos homens dizem que adorariam ter uma mulher que aprecie uma boa cerveja, goste de futebol e pense bastante em sexo. Pois sou assim, mas não conheço nenhum que goste disso…) 

Não quero um poeta, mas alguém sensivel que saiba e goste de expressar seus sentimentos por meio das palavras. Elas me encantam…  Alguém que perceba meu olhar, saiba o que penso e conheça a melhor forma de me agradar e me fazer sentir prazer. Alguém que faça com que eu me apaixone por ele todos os dias de uma forma diferente, e me faça querer passar o resto da minha vida ao seu lado, por ser gostoso, inteligente, único e especial.

Encontrei alguém assim, só não sei se é bom ou ruim…

Crianças

crianças

        Hoje falarei das crianças. Elas que são puras, transparentes e cruéis. Como podem ser cruéis e puras ao mesmo tempo? Que incoerência! Mas é bem simples… Estudei que a aprendizagem se dá à medida que a pessoa se relaciona com o meio e com as outras pessoas, acredito que isso não se restringe apenas ao cognitivo, mas também aos valores e comportamentos. Lógico que tem também o fator biológico, mas o ambiente influencia muito  na formação da personalidade, assim como no desenvolvimento da aprendizagem.  As crianças são, contudo “fruto” de uma sociedade capitalista, injusta, violenta, egoísta e cruel. O que esperar delas? Se vivem rodeadas de pessoas que julgam pela aparência, que menosprezam os menos afortunados, que enganam, roubam, matam. As crianças são cruéis porque são transparentes. Falam o que pensam (pensam não por si, mas reproduzem uma maneira de pensar) e demonstram o que sente (com o tempo vão desenvolvendo o hábito se dissimular…). É por essa transparência que elas me encantam. Se uma criança diz que te ama, é porque você é importante e fundamental na vida dela e ela o ama com tudo o que pode, à sua maneira ingênua, verdadeira, pura e gostosa de ser!

Ser criança é acreditar que tudo é possível.
É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco
É se tornar gigante diante de gigantescos pequenos obstáculos
Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.
É conseguir perdoar muito mais fácil do que brigar.
Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.
Ser criança é o que a gente nunca deveria deixar de ser.”

Para um amor ausente

Por muito tempo guardei uma magoa por não estar perto de mim, por não participar efetivamente da minha vida. Eu era só uma criança quando me deixou, precisava de sua proteção, mas sua ausência me fez mulher e hoje sou o que sou porque não esteve aqui. Chorei o que precisava chorar, xinguei, esbravejei, me deprimi, mas procurei aceitar seus motivos, por mais que ainda não os entenda…

Tenho mais de você do que gostaria, mas não quero repetir seus erros. Aprendo com que vi, vivi e sofri . Eu te amo incondicionalmente, com seus defeitos, suas falhas, seu carinho, sua presença superficial e mesmo longe está comigo nas minhas lembranças.

Sou professor

450px-Method_Paulo_FreireHá pouco mais de seis meses leciono e já me decepcionei com a Edcucação! Digo de todo o sistema, dos setores de alto escalão. Eu não sou nada perto deles, sou nada pra eles. Os alunos muito menos…Porque me revolto? Pra começar porque faço meu trabalho que é educar, me dedico a isso e me vem uma certa burocracia, estupidez com fichas e relatórios pra preencher que me fazem perder as mãos, o tempo e a paciencia! Tempo que eu poderia planejar, procurar formas de ajudar meus alunos, mas não: escrevo, escrevo, escrevo coisas inuteis que serão arquivadas, esquecidas e nunca se fará algo para mudar a realidade do que foi escrito.Porque investir na educação?? Perda de tempo… quanto mais professores revoltados, cansados que “empurram com a barriga”  mal esperando a hora de se aposentar,melhor… quanto menos seres pensantes que se formem, menos são os que compreendem, indignam-se e questionam suas imundices! Pra que ensinar a ler se para votar é preciso apenas apertar um botão???

Isso é só um desabafo, não é por isso que me deixo abater, sou nova, ainda tenho sonhos e força pra lutar por eles. Como eu existem muitos pena que não os encontrei… Nehuma palavra minha conseguirá dizer as mesmas coisas que Paulo Freire (esse senhor simpático do desenho que bem que me lembra um certo professor de Tecnologia), por isso termino com um trecho de uma obra sua:

” Sou professor a favor da esperança que me anima apesar de tudo. Sou professor contra o desengano que me consome e me imobiliza. Sou professor a favor da boniteza de minha pratica, boniteza que dela some se não cuido do saber que devo ensinar, se não brigo por este saber, se não luto pelas condições materiais necessárias  sem as quais meu corpo, descuidado, corre o risco de se amorfinar e de já não ser mais testemunho que deve ser de lutador pertinaz, que cansa mas não desiste.”

O que eu quero

Luxúria (Isabella Taviani)

Dobro os joelhos
Quando você, me pega
Me amassa, me quebra
Me usa demais…

Perco as rédeas
Quando você
Demora, devora, implora
E sempre por mais…

Eu sou navalha
Cortando na carne
Eu sou a boca
Que a língua invade
Sou o desejo
Maldito e bendito
Profano e covarde…

Desfaça assim de mim
Que eu gosto e desgosto
Me dobro, nem lhe cobro
Rapaz!
Ordene, não peça
Muito me interessa
A sua potência
Seu calibre, seu gás…

Sou o encaixe
O lacre violado
E tantas pernas
Por todos os lados
Eu sou o preço
Cobrado e bem pago
Eu sou
Um pecado capital…

Eu quero é derrapar
Nas curvas do seu corpo
Surpreender seus movimentos
Virar o jogo
Quero beber, o que dele
Escorre pela pele
E nunca mais esfriar
Minha febre…

Neste momento essa música é a que faz mais sentido para o meu estado de espírito, precisava postar isso… talvez me inspire, talvez não.  Queria mesmo era inspirar você.

Minha segunda tentativa de criar um blog. Espero ser essa bem sucedida. A verdade é que receio dizer coisas que sinto… e não quero ser mais uma escrevendo coisas idiotas para que pessoas idiotas façam comentarios igualmente idiotas.

Vamos esperar pra ver…